Horizontal List

PM Rui Araujo
Investir no futuro de Timor-Leste
FUTURO
Timor-Leste acolheu a mais recente reunião trilateral da plataforma para o Desenvolvimento Económico Sub-Regional Integrado entre Timor-Leste, Indonésia e Austrália

Ai-han Timor Nian
Ramos-Horta
"Tantangan Timor Leste Makin Berat"
ECONOMIA
"..fo-hanoin ba ukun nain sira nebe tinan tinan truka hela deit ministrus, atu hare ba povu nia moris nebe "kuaze 50%" povu sei moris iha linha pobreza nia laran..."
Australia-Timor Leste
Notre Dame students experience the world and help those in need in Timor-Leste
Empresários - Timor Telecom
Empresários timorenses e fundo das Fiji na corrida pela Timor Telecom
Timor-Leste - BAII
Timor-Leste inicia processo de adesão ao Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas
Timor-Leste - Maluku
Maluku kaji kerja sama dengan Timor Leste

sábado, 14 de setembro de 2013

[Dinheiro Banco] Central de Timor-Leste lança moeda de 100 centavos

O Banco Central de Timor-Leste (BCTL) lançou hoje a nova moeda de 100 centavos que entrou imediatamente em circulação, refere em comunicado aquela instituição bancária timorense.

Segundo o governador do BCTL, Abraão de Vasconcelos, citado no comunicado, a nova moeda tem o mesmo valor que um dólar norte-americano.

O BCTL decidiu mandar fazer a moeda de 100 centavos porque as notas norte-americanas de um dólar estão "muito tempo em circulação em Timor-Leste" e ficam rapidamente deterioradas e "abaixo do padrão de conservação necessário para que as suas características de segurança de integridade sejam identificadas".

"Mesmo tendo em consideração que a produção de moedas é dispendiosa, as mesmas são aptas a circular durante vários anos antes de ser necessário retirá-las de circulação, ao contrário das notas de um dólar, que normalmente necessitam de ser substituídas ao fim de aproximadamente um ano", esclareceu o Banco Central no comunicado.

A moeda de 100 centavos tem a imagem de Dom Boaventura de Manufahi e é composta por dois metais distintos de cor dourada (no exterior) e prateada (no interior).

A nova moeda, que foi feita pelo Banco de Portugal, vai circular em conjunto com as notas de um dólar.

Na cerimónia de lançamento da nova moeda participaram o Presidente timorense, Taur Matan Ruak, vários membros do governo e representantes de várias instituições bancárias a operar em Timor-Leste.

http://www.noticiasaominuto.com/
economia/106422/banco-central-de-timor-leste-lan%C3%A7a-moeda-de-100-centavos#.UjRwDaI3uuI

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

IFC Makes First-Ever Investment in Timor-Leste


Friday, 13 September 2013, 4:11 pm
Press Release: International Finance Corporation
IFC Makes First-Ever Investment in Timor-Leste, Helps Women in Business

IFC, a member of the World Bank Group, has made its first investment in the Democratic Republic of Timor-Leste with a $500,000 convertible loan to Tuba Rai Metin, a microfinance organization that serves Timorese women and small businesses. IFC will help TRM expand its business and change from a not-for-profit organization into a regulated financial institution.

“Only 15 percent of Timorese business people are able to access financial products, but through this partnership with IFC, Tuba Rai Metin can offer 40 percent more services and help achieve the central bank’s recently launched development plan,” said Angelo Soares, chief executive officer of Tuba Rai Metin.

Tuba Rai Metin means “standing firmly on the ground” in the local Tetum language. The organization offers savings products and loans, including one specifically designed for small and medium enterprises, where most Timorese women work.

“More than 90 percent of TRM’s customers are female, and women generally put business profits back into the household or children’s education,” said Gavin Murray, IFC’s regional manager for the Pacific region. “Therefore, increasing the organization’s capacity will bring long-term improvements for families across Timor-Leste.”

This is IFC’s first loan in Timor-Leste, a country whose economic growth has been impeded by conflict, including severe violence in 2006. As part of its Timor-Leste program, IFC is working with the private sector to widen access to the financial products that allow micro, small and medium businesses to grow.

About IFC
IFC, a member of the World Bank Group, is the largest global development institution focused exclusively on the private sector. Working with private enterprises in more than 100 countries, we use our capital, expertise, and influence to help eliminate extreme poverty and promote shared prosperity. In FY13, our investments climbed to an all-time high of nearly $25 billion, leveraging the power of the private sector to create jobs and tackle the world’s most pressing development challenges. For more information, visit www.ifc.org.


About Tuba Rai Metin
Founded in 2001, Tuba Rai Metin is one of only two microfinance organizations to survive the 2006-2007 civil riots in Timor-Leste. The company has grown rapidly in the last four years to encompass operations in all 13 districts of Timor-Leste, servicing more than 7,500 customers and employing 118 staff across the country. For more information on TRM, visit www.tubaraimetin.com.

ENDS

© Scoop Media

sábado, 7 de setembro de 2013

Timor Leste é o país com o superavit mais elevado do mundo


Por Eduarda Frommhold

No final do ano passado, o fundo petrolífero timorense chegava já muito perto dos nove mil milhões de euros

O relatório anual sobre a competitividade global publicado há dias pelo Fórum Económico Mundial coloca o antigo território português de Timor-Leste como o país com a situação financeira mais confortável em todo o mundo.

 O jovem e pequeno país do sudeste asiático, de 1,2 milhões de habitantes e que não chega a ter 15 mil quilómetros quadrados de extensão territorial (o equivalente aos distritos de Beja e Faro somados), não tem dívida externa e possui o superavit orçamental (diferença entre receita e despesa pública) mais elevado do mundo.

Em 2012, o superavit timorense situou-se em 38,8% do PIB, à frente do Kuwait (30,6%), Bornéu (26,4%) e da Líbia (20,9%), todos igualmente produtores de petróleo, numa lista de 148 países em que apenas 29 (19,6% do total) são superavitários. Só para se ter uma ideia, o fundo petrolífero de Timor-Leste, criado em 2005, já atingia no final do ano passado 8,8 mil milhões de euros.

O top ten dos países mais deficitários no ranking  de Davos é encabeçado pela Venezuela (18,9% do PIB), seguindo-se  o Gana (11,5%, o Egipto (10,7%) e  Espanha (10,3%). Portugal coloca-se em 116º lugar, com um défice de 4,9% do PIB em 2012, a par da Tunísia e da Eslováquia.

Já em termos de competitividade, Timor-Leste é dos mais mal colocados na tabela global, com apenas dez países menos competitivos.  Pior só mesmo Myanmar, Burkina Faso, Mauritânia, Angola, Haiti, Serra Leoa. Iémen, Burundi, Guiné-Conacri e Chade. Portugal ocupa neste indicador a 51ª posição.

Ponto Final. -> Num total de 148 países, menos de 20% têm excedente orçamental. Os restantes são todos deficitários.

http://www.dinheirovivo.pt
http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO261024.html

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Empresários de Timor-Leste com acesso a oportunidades de negócio nos países de língua portuguesa


2013/09/04    NOTÍCIAS

A Câmara de Comércio e Indústria de Timor-Leste vai fazer parte da plataforma de divulgação das oportunidades de negócios no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), nos termos de um acordo assinado terça-feira em Díli com a Associação Industrial Portuguesa, a entidade promotora do projecto.

“É um projecto com o apoio do governo português e da União Europeia, que engloba todos os países da CPLP e que tem por objectivo fazer dos mercados da CPLP um espaço económico distinto”, afirmou o presidente da AIP, José Eduardo Carvalho, citado pela agência noticiosa portuguesa Lusa.

O projecto pretende ainda criar uma “plataforma de oportunidades de negócio que existam em todos os países da CPLP” e “dinamizar parcerias entre empresas, aproveitando os mercados livres de integração que alguns países têm.”

Para o presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Timor-Leste, Júlio Alfaro, o protocolo assinado é uma “referência importante para o desenvolvimento” do país, bem como para proteger as actividades dos associados.

A AIP iniciou na segunda-feira uma missão empresarial a Timor-Leste, que termina no sábado, com o objectivo de reforçar as relações de comércio e investimento entre os dois países, que inclui representantes de empresas dos sectores da construção, obras públicas, alimentação, rochas ornamentais e equipamentos de escritório. (macauhub)

www.macauhub.com.mo