Horizontal List

PM Rui Araujo
Investir no futuro de Timor-Leste
FUTURO
Timor-Leste acolheu a mais recente reunião trilateral da plataforma para o Desenvolvimento Económico Sub-Regional Integrado entre Timor-Leste, Indonésia e Austrália

Ai-han Timor Nian
Ramos-Horta
"Tantangan Timor Leste Makin Berat"
ECONOMIA
"..fo-hanoin ba ukun nain sira nebe tinan tinan truka hela deit ministrus, atu hare ba povu nia moris nebe "kuaze 50%" povu sei moris iha linha pobreza nia laran..."
Australia-Timor Leste
Notre Dame students experience the world and help those in need in Timor-Leste
Empresários - Timor Telecom
Empresários timorenses e fundo das Fiji na corrida pela Timor Telecom
Timor-Leste - BAII
Timor-Leste inicia processo de adesão ao Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas
Timor-Leste - Maluku
Maluku kaji kerja sama dengan Timor Leste

domingo, 21 de novembro de 2010

PM Xanana Informa OJE 2011 ba PR Horta

Posting Husi: Josefa Parada
Kategoria: Notisias Online - Le'e dala: 33 Ona.

DILI-Premeiru Ministru Kay Rala Xanana Gusmao hafoin aprezenta OJE 2011 ba Parlamentu Nasional, hakat a’an hikas ba Palasiu Prezidensial hodi informa ba PR Horta konaba kestaun refere.

PM Xanana, liu husi inkontru semanal ho PR Horta, ofisialmente informa proposta OJE 2011 ne’ebe governu intrega ona ba PN. “Hau informa ba Prezidente konaba proposta Orsamentu Jeral 2011 ne’ebe ami hatama ona ba Parlamentu,” katak PM Xanana ba jornalista sira, Kinta, (18/11), iha Palasiu Prezidensial.

Nia dehan, PR Horta la fo komentariu barak, maibe husu deit ba governu atu ejekuta didiak wainhira PN aprova. Antes ne’e, PR Horta deklara hakfodak ho montante OJE 2011 ho total miliaun $985 tanba konsidera orsamentu refere bo’ot teb-tebes. Maske nune’e Horta senti kontenti tanba governu hamenus osan viazen estranjeiru ba membru governu sira.

OJE 2011 ho total milaun U$985 tuir anunsiu Konselhu Ministru, ho kategoria ba salariu vensimentu milaun U$ $115.909, milaun $270.459 ba Beins no Servisu (milaun U$ 25 afeta ba Fundu Dezenvolvimentu Kapitál Umanu), miliaun U$164.456 ba Transferénsia Públika, miliaun $28.252 ba Kapitál Menór no milliaun $405.924 ba Kapitál Dezenvolvimentu (milaun $317.306 afeta ba Fundu Infra-Estrutura nian).

Deputadu husi Bankada Fretilin, Estanislau da Silva, lolos governu tenki sukat ninia kapasidade ejekusaun molok aprezenta orsamentu ho montante ne’ebe a’as teb-tebes. Nia dehan, kada tinan orsamentu ne’e bo’ot ba bebeik, maibe gastus ne’ebe governu halo la sustentavel.

Deputadu Bankada CNRT, Arao Noe, defende governu katak, se governu husu osan bo’ot atu aloka signifika katak governu iha ona planu konkretu. Nia dehan, montante OJE 2011 ne’ebe bo’ot ne’e relevante duni tanba realidade hatudu katak nesesidade nasaun ne’e tinan ba tinan aumenta a’as. Arao dehan, atu hasoru dezafiu dezenvolvimetnu presiza duni prepara kondisaun liu husi alokasaun orsamentu. Jorgino Santos

Fonte: STL

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Fundo Petrolífero de Timor-Leste rende 1, 62% no 3.º Trimestre

O valor do Fundo Petrolífero de Timor-Leste rendeu 1,62% no terceiro trimestre, sendo o valor actual de 6.603,63 milhões de dólares (4,8 mil milhões de euros), anunciou a Autoridade Bancária e de Pagamentos (ABP) no seu site.

Segundo o relatório, anunciado no dia 10, as entradas brutas de capital durante o trimestre foram de 376,72 milhões de USD, consistindo de 222,73 milhões de impostos pagos ao Fundo e 153,99 milhões de royalties (pagamento de direitos de utilização da área explorada) pagos à Autoridade Nacional do Petróleo.

O rendimento do investimento do Fundo foi de 103,66 milhões de USD, dos quais a componente de cupões e de juros recebidos foram de 53,27 milhões e a alteração do valor de mercado dos títulos foi de 50,39 milhões de USD, de que resultou um retorno trimestral para a carteira de títulos de investimento de 1,62%.

A Lei do Fundo Petrolífero especifica que a ABP, como banco central de Timor-Leste, é o agente responsável pela gestão operacional do Fundo, sendo o Ministério das Finanças o responsável pela definição da estratégia global de investimentos do Fundo.

O balanço de encerramento foi de 6,603.63 milhões de dólares americanos.

O presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, anunciou no passado domingo a disponibilidade do seu país em comprar títulos da dívida pública portuguesa, à luz da diversificação de investimentos do Fundo do Petróleo timorense, que tem mais de 6.600 milhões de dólares (4,85 mil milhões de euros).

Diário Digital / Lusa

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Economia Timor Leste Emerge Após Três Anos de Liderança Proficiente

Quando o novo Governo chefiado por S. Exa. o Primeiro-Ministro Kay Rala Xanana Gusmão tomou posse em Agosto de 2007, Timor-Leste era visto pela maioria das pessoas como estando a um passo de se tornar um Estado falhado. Em apenas três anos, a agenda reformista agressiva do Governo Gusmão transformou esta pequena Nação que ocupa meia ilha. Os indicadores económicos e sociais de 2010 reflectem uma Nação cada vez mais estável e com progressos alcançados, que emerge da pobreza através de políticas e reformas progressistas.

Os 1,6 mil milhões de dólaresi de despesa pública incisiva possibilitaram um decréscimo de 9%ii na pobreza, o equivalente a retirar cerca de 96.000 pessoas de uma situação de pobreza extrema. Isto apenas foi conseguido após terem sido já gastos oito mil milhões de dólares em de uma década, e antes do mandato deste Governo, sendo que durante este período a pobreza aumentou para o dobro em algumas zonas do País.

O crescimento económico de Timor-Leste em 2009 foi 13%iii, a taxa de crescimento mais elevada da região. Se compararmos esta taxa com as taxas de crescimento global em 2009 de países e regiões tais como a América Latina (-1,7%), a Zona Euro (-4,1%) e os Estados Unidos (-2.6%)iv, vemos como o crescimento de Timor-Leste é impressionante, razão pela qual o País foi considerado uma das dez economias com crescimento mais rápido em todo o mundo durante os anos de 2008 e 2009.v

A boa gestão económica tem sido apanágio deste Governo, com o Relatório Doing Business do Banco Mundial a reconhecer as reformas ao sistema de tributação através da subida da posição de Timor-Leste na classificação global de 75.º para 19.º. Também no Relatório Doing Business de 2010 a classificação de Timor-Leste subiu 7 posições. Sob o novo cenário de tributação, as receitas provenientes de impostos domésticos aumentaram 41% desde 2006vi; este aumento demonstra que as instituições estão cada vez mais fortes ao nível da cobrança e que se está a criar um ambiente regulador mais acessível. O número de empresas registadas aumentou de 1.695 em 2007 para 2.118 em 2008 e 3.781 em 2009. O número de microempresas registadas aumentou de 505 em 2007 para 849 em 2008 e 1.262 em 2009vii. O Produto Nacional Bruto (PNB) per capita de Timor-Leste aumentou 228% entre 2005 e 2010viii, e se considerarmos que em 2006 a taxa de crescimento foi negativa (-5,9%)ix podemos constatar como o sucesso se atribui às iniciativas do Governo Gusmão.

O País tem também feito progressos assinaláveis no que se refere aos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio. A taxa de mortalidade infantil decaiu de 92 por cada 1.000 nados vivos em 2007 para 64 por cada 1.000 nados vivos em 2009; a taxa de incidência da malária baixou de 203 por cada 1.000 em 2007 para 113 por cada 1.000 em 2009; e a taxa de incidência da tuberculose decresceu de 250 por cada 100.000 em 2007 para 145 por cada 100.000 em 2009. A taxa líquida de matrícula de crianças no ensino primário aumentou dos 65,6% em 2007 para os 82,7% em 2009.x Em termos simples, o uso de instrumentos de medição de qualidade têm vindo a demonstrar que actualmente mais crianças vivem para além do seu quinto aniversário de vida, muito menos pessoas são afectadas por doenças e mais crianças participam no sistema de educação do que acontecia quando este Governo iniciou o seu mandato.

Este ano Timor-Leste atingiu o estatuto de conformidade total com a Iniciativa de Transparência nas Indústrias Extractivas, tendo sido o terceiro país em todo o mundo a consegui-lo. O Instituto Revenue Watch e a Transparência Internacional, no primeiro Índice Revenue Watch deste ano, classificaram Timor-Leste como estando no grupo dos melhores países em termos de “transparência abrangente” relativamente aos recursos naturais.xi

O Índice de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas de 2010, que acabou de ser lançado, regista que Timor-Leste subiu 14 posições na classificação, enquanto o Índice de Percepções de Corrupção de 2010, da Transparência Internacional, revela uma subida de 19 posições. O relatório de Direitos Humanos das Nações Unidas, lançado o mês passado, refere “progressos importantes ao nível dos direitos humanos” no período de Julho de 2009 a Junho de 2010, indicando que Timor-Leste tem actualmente potencial para ser um líder regional e global na área dos direitos humanos.xii

Timor-Leste tornou-se ainda um caso de estudo global de nações frágeis e em situação de pósconflito.

Enquanto em 81 países, com estas características, a taxa média de crescimento conseguida em cinco anos após os conflitos foi de 5%xiii, em Timor-Leste registou-se uma taxa de crescimento de aproximadamente 15% num espaço de tempo relativamente mais curto, contado desde 2006.

Timor-Leste é actualmente reconhecido como um líder global emergente de uma situação de fragilidade e pós-conflito, por via de inovação interna. Em Abril de 2010, Timor-Leste foi nomeado para liderar o g7+, um grupo de dezassete Estados e territórios frágeis e em situação de pós-conflito espalhados pelo mundo, unidos pela primeira vez na história para partilharem as suas experiências comuns e influenciarem a política mundial.

O Secretário de Estado do Conselho de Ministros, Ágio Pereira, referiu que “O progresso a que temos assistido no País desde Agosto de 2007 é resultado da determinação nacional e da união do nosso Povo. As melhorias resultam de uma liderança astuta e de boa governação, assim como da assistência dos parceiros internacionais, tendo apenas estas melhorias sido possíveis como resultado de reformas políticas, legislação, planeamento, implementação efectiva e melhores relações globais.’

‘Agora que avançamos para as próximas etapas cruciais do nosso crescimento nacional, devemos reflectir sobre de onde viemos num espaço de tempo tão curto. Devemos considerar os factos, analisar as melhorias registadas na nossa Nação e ter bem presente que a liderança do nosso Primeiro-Ministro, Sua Excelência Xanana Gusmão, apoiada por uma equipa dedicada, resgatou Timor-Leste da beira do precipício e colocou-o neste momento auspicioso da sua história. O Primeiro-Ministro e a equipa continuarão a trabalhar com a mesma capacidade e a mesma coragem para que Timor-Leste possa seguir no caminho rumo à paz e ao desenvolvimento, caminho este que podemos hoje trilhar juntos com um elevado sentido de esperança e de realismo.” FIM

Secretário de Estado do Conselho de Ministros e Porta-voz Oficial do Governo de Timor-Leste
Ágio Pereira +670 723 0011 Correio electrónico: agio.pereira@cdm.gov.tl ou govtlmedia@gmail.com Portal electrónico: http://www.timor-leste.gov.tl/

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Governu aprova ona orsamentu estadu nian ba 2011

Sapo.tl, 12 de Novembro de 2010, 16:54

Governu Timór-Leste, ohin, aprova ona, iha reuniaun estraordináriu iha Konsellu Ministru nian, proposta Orsamentu Estadu nian ba 2011, ne’ebé prevé ho totál dolar miliaun 2,398 ba reseita sira no dolar miliaun 985 ba despeza.

Tuir komunikadu hosi Konsellu Ministru sira, proposta Lei Orsamentu Jerál Estadu nian (OGE) ba 2011 estima ho totál ba reseita hosi fonte hotu (mina-rai, laoos mina-rai, osan hosi parseiru dezenvolvimentu sira no reseita lafiskál), dolar norte-amerikanu nian ho miliaun 2,398. Iha ona dotasaun orsamentál ne’ebé propoin ho osan montante jerál dolar miliaun 985, hosi montante ne’e hamutuk dolar miliaun 317.306 mak ba infra-estrutura no dolar Amérika miliaun 25 ba dezenvolvimentu Kapitál Humanu.

Ba verba seluk ho dolar miliaun 115.909 ba Saláriu no Vensimentu, dolar miliaun 270.459 ba Sasán no Servisu, no mós dolar miliaun 25 ba ba Osan Dezenvolvimentu Kapitál Humanu. Ba transferénsia públika haree ona montante dolar miliaun 164.456 no dolar miliaun 28.252 ba Kapitál Menór.

Kapitál ba dezenvolvimentu hetan dolar miliaun 405.924, ne’ebé inklui mós dolar miliaun 317.306 ne’e ba fundu infra-estrutura nian. Novidade boot ba proposta orsamentál nudár kriasaun ba fundu infra-estrutura no fundu ba dezenvolvimentu Kapitál Humanu.

Esplikasaun Governu nian ne’e nesesidade ida ba “hasa’e finansiamentu”, iha área rua ne’e, rin rua ne’ebé importante tebes hodi haree ba kondisaun bázika hodi dada investimentu privadu sira no haburas ekonomia atu ladepende de’it ba mina.

Tenki kria mós Ajénsia Dezenvolvimentu Nasionál (ADN), “kompostu hosi tékniku kualifikadu sira, atu hodi tau matan ba kualidade projetu nian no asegura espesifikasaun no kustu tuir-fatin”, tuir komunikadu governamentál.

Revista a série do PIB de Timor Leste

O Fundo Monetário Internacional, em colaboração com a Divisão de Macroeconomia do Ministério das Finanças, efectuaram uma revisão da série estatística do Produto Interno Bruto de Timor Leste.Como se pode verificar pelo quadro abaixo, cuja fonte é a base de dados estatísticos que acompanha a publicação do Fundo designada por World Economic Oulook (ver em http://www.imf.org/external/pubs/ft/weo/2010/02/weodata/index.aspx), os valores anteriores foram revistos em baixa na série publicada no início de Outubro passado, juntamente com a edição do Outonno daquela publicação.

A redução, para todos os anos desde 2002, foi de cerca de 9% em relação aos valores anteriores e que constavam ainda da base de dados publicada em Abril passado.A causa principal desta revisão em baixa foi a revisão efectuada aos valores da produção dos sectores primário (agricultura, etc) e secundário e terciário (indústria e serviços).A primeira viu os seus valores baixarem, em geral, cerca de 9-10% enquanto que a indústria e serviços viu a sua produção reavaliada em cerca de -15% em cada ano.Estas diferenças devem-se ao uso, agora, de metodologia mais apropriada ao cálculo das Contas Nacionais, procurando usar o mais possível o valor acrescentado em cada sector ou, pelo menos, estimativas mais correctas do mesmo.A preços constantes de 2000 o valor do PIB global era, em 2009, de cerca de 364 milhões de USD. Como a população deveria rondar o milhão de habitantes, o PIB per capita deveria ser de cerca de 365 USD,

Publicada por A. M. de Almeida Serra